sábado, 19 de março de 2011

Congresso 13 - As últimas duas horas

Nas últimas duas horas, tivemos várias intervenções de enorme interesse e valia.

Adolfo Mesquita Nunes deu voz às causas e problemas da juventude portuguesa, com a POPES "N", intitulada "Se o Socialismo fosse bom, esta geração estava à rasca?", no que foi uma das melhores intervenções da tarde, até agora.  

Filipe Lobo D´Ávila apresentou a POPES "O", sobre a reforma do sistema de justiça, com propostas extremamente inovadoras e multifacetadas sobre um problema tão actual. 

Mariana Ribeiro Ferreira trouxe ao nosso Congresso a POPES "P", sobre as políticas sociais de proximidade no combate à pobreza.

Filipe Anacoreta Correia apresentou a POPES da tendência Alternativa e Responsabilidade, com o mesmo título. Foi, talvez, uma das decepções da tarde, com uma intervenção pouco conseguida.

Finalmente, Nuno Melo acabou ainda há pouco de apresentar a sua POPES, com a letra "R", intitulada "As Marcas de Uma Governação Falhada". Naquela que foi, até este momento a melhor intevenção da tarde, o eurodeputado do nosso partido fez um diagnóstico cru da desgovernação de José Sócrates e do seu Governo, evocou e citou o Prof. Doutor Adriano Moreira e conseguiu galavanizar o Congresso, levantando os congressistas quando disse que quem devia ser Primeiro - Ministro de Portugal deveria ser Paulo Portas. Grande discurso!!!

Sem comentários: