segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

CDS ESTÁ CONTRA SUGESTÃO DO FMI DE AUMENTO DA CARGA FISCAL

O líder parlamentar do CDS-PP, Pedro Mota Soares, defendeu esta quinta-feira que a resposta aos alertas do Fundo Monetário Internacional (FMI) deve passar por estimular a economia e aumentar a produtividade e recusou qualquer aumento de impostos.

“O que temos que fazer é estimular a economia e aumentar a produtividade. Já propusemos um acordo social entre o Governo e parceiros sociais para aumentar a produtividade e distribuir melhor os rendimentos que vêm do trabalho”, declarou Pedro Mota Soares.

O deputado e líder parlamentar do CDS-PP disse que o partido será “contra qualquer aumento da carga fiscal”, considerando que representaria “matar a economia real”, nomeadamente as micro, pequenas e médias empresas.

“O FMI só recomenda isso se as outras medidas falharem. Nós defendemos é o contrário, é a estimulação da economia e o aumento da produtividade”, reiterou.

Quanto às medidas de apoio social, o deputado lembrou que o CDS-PP já recomendou uma fiscalização da atribuição do rendimento social de inserção, defendendo, por outro lado, “mais audácia social” na resposta social aos que estão desempregados.

O relatório do FMI considera que a consolidação orçamental em Portugal passa pela redução da despesa, especialmente da massa salarial dos funcionários públicos.

Noticia do site do CDS-PP.

Sem comentários: