terça-feira, 7 de abril de 2009

PAULO PORTAS APELA PARA QUE RECANDIDATURA DE DURÃO BARROSO NÃO SEJA ARMA DE ARREMESSO


Paulo Portas, reiterou hoje o apoio dos democratas-cristãos à recandidatura de Durão Barroso a presidente da Comissão Europeia e apelou para que a questão não seja “arma de arremesso” entre partidos.

“Durão Barroso é presidente da Comissão Europeia, tem desempenhado bem o seu mandato. E nós agora é que vamos dividir-nos sobre essa eleição no estado em que o país está, prescindindo assim das ajudas exteriores? Eu acho que [a questão da recandidatura de Durão Barroso] não deve ser arma de arremesso entre os partidos”, afirmou Paulo Portas.

Na opinião de Paulo Portas, o facto de Durão Barroso ser português "pode ajudar" o país.

Sublinhando que se trata “de um português à frente da comissão” e que “não é frequente isso suceder”, Paulo Portas sublinhou que “muitos países o apoiam para a reeleição”.

“Nesse quadro seria estranho que fossem os portugueses a dividir-se”, insistindo que a questão não deve ser “arma de arremesso entre os partidos na campanha eleitoral” [das europeias, que começa a 25 de Maio].

Em declarações aos jornalistas na sede do CDS-PP, Paulo Portas frisou que apoia a recandidatura de Durão Barroso, independentemente de ter “uma ideologia diferente” e uma “visão crítica da forma como ele foi para Bruxelas”, abandonando o cargo de primeiro-ministro de Portugal.


Site do CDSPP

Sem comentários: